Novo texto: Entre o Homem-de-lata e a Dama-de-ferro

Direito e cinema compõe uma perigosa relação acadêmica e política. São duas formas de produção de verdades sobre o mundo.

Seja através dos discursos jurídicos e textos legais, seja pelas imagens digitais, ambos (os dispositivos) são capazes de produzir evidências e reconfigurar a história.

Leia aqui texto de minha autoria recentemente publicado na Revista Pittacos.

“A Guerra nunca pode ser separada do espetáculo mágico, dizia Paul Virilio, porque seu objetivo maior é, exatamente, a produção deste espetáculo. Neste sentido, é preciso ter em mente que a magia das imagens digitais produzidas para a televisão ou cinema, não foge ao mesmo contexto: são imagens cujo fim é a disputa, a guerra – primeiro no contexto político eleitoral e, dependendo do resultado dele, também a materialização concreta das representações imagéticas e espectrais no campo de batalha.”

Continue lendo…

Anúncios
Esse post foi publicado em Direito e Cinema, Teoria do Direito e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s